sábado, 27 de fevereiro de 2010

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

bailarina






































O ballet tem suas raízes na Itália renascentista através das pantomimas (peças de teatro sem falas, utilizando apenas expressões faciais e corporais, geralmente improvisada)que eram realizados por atores e circenses em grandes salões para membros da corte.
O casamento da italiana Catarina de Médicis com o Rei Henrique II da França em 1533 deu um importante impulso para o desenvolvimento do balé. Diversos artistas especializados em grandes e luxuosos espetáculos foram trazidos da Itália. Em 1581 Catarina de Médicis produziu o Ballet Comique de la Reine em Paris sob a direção do músico italiano Baldassarino de Belgiojoso ou Balthazar de Beaujoyeulx, nome que adotou na França. O balé tomou a forma na qual é conhecido hoje na França, durante o reinado de Luis XIII. No ano de 1661, seu filho Luis XIV fundou a Académie de Musique et de Danse, com o objetivo de sistematizar, preservar a qualidade e de fiscalizar o ensino e a produção do balé. Luis XIV nomeou Charles Louis Pierre de Beauchamps para tomar a frente da instituição que foi dissolvida em 1780.
Os chamados balés de repertório se baseiam em composições musicais que contribuíram para torná-lo popular na Europa e depois no resto do mundo. Alguns dos balés mais notáveis são: Coppélia, de Léo Delibes, O Pássaro de Fogo, de Igor Stravinsky, O Quebra-Nozes de Marius Petipa e O Lago dos Cisnes de Marius Petipa e Lev Ivanov,ambos com música de Tchaikovsky.
A partir do Romantismo, as mulheres passaram a se destacar e contribuir para o aperfeiçoamento da arte. Marie Camargo por exemplo, criou o jeté, o pas de basque e o entrechat quatre, além de encurtar os vestidos até acima dos tornozelos e calçar sapatos sem saltos.




Carnaval do Brasil



O Carnaval do Brasil é a maior festa popular do país. A festa acontece durante quatro dias (que precedem a quarta-feira de cinzas). A quarta de cinzas tem este nome devido à queima dos ramos no Domingo de Ramos do ano anterior, cujas cinzas são usadas para benzer os fiéis no início da quaresma. O Carnaval prepara o início da quaresma, isto é, seu último dia precede a quarta-feira de cinzas (início da Quaresma).

Indústria do carnaval


Indústria do carnaval é o nome dado ao conjunto de atividades para produção de fantasias, adereços, materiais para os carros alegóricos. São na maioria empregos informais para milhares de costureiras.[carece de fontes?]
São atividades que, segundo dados de 2006, movimenta anualmente cerca de 1 bilhão de real e gera mais de 300 mil empregos. Só as escolas de samba do grupo especial gastam cerca de 100 milhões de reais em matérias primas — sem contar salários e serviços — para pôr seu enredo na avenida.Indústria do carnaval é o nome dado ao conjunto de atividades para produção de fantasias, adereços, materiais para os carros alegóricos. São na maioria empregos informais para milhares de costureiras.[carece de fontes?]
São atividades que, segundo dados de 2006, movimenta anualmente cerca de 1 bilhão de real e gera mais de 300 mil empregos. Só as escolas de samba do grupo especial gastam cerca de 100 milhões de reais em matérias primas — sem contar salários e serviços — para pôr seu enredo na avenida.


o dia dos namorados


A palavra amor (do latim amor) presta-se a múltiplos significados na língua portuguesa. Pode significar afeição, compaixão, misericórdia, ou ainda, inclinação, atração, apetite, paixão, querer bem, satisfação, conquista, desejo, libido, etc. O conceito mais popular de amor envolve, de modo geral, a formação de um vínculo emocional com alguém, ou com algum objeto que seja capaz de receber este comportamento amoroso e alimentar as estimulações sensoriais e psicológicas necessárias para a sua manutenção


Características do amor



Fala-se do amor das mais diversas formas: amor físico, amor platônico, amor materno, amor a Deus, amor a vida. É o tipo de amor que tem relação com o caráter da própria pessoa e a motiva a amar (no sentido de querer bem e agir em prol).
As muitas dificuldades que essa diversidade de termos oferece, em conjunto à suposta unidade de significado, ocorrem não só nos idiomas modernos, mas também no grego e no latim. O grego possui outras palavras para amor, cada qual denotando um sentido específico. No latim encontramos amor, dilectio, charitas, bem como Eros, quando se refere ao amor personificado numa deidade.
Amar também tem o sentido de gostar muito, sendo assim possível amar qualquer ser vivo ou objeto.















Amor platônico



Amor platônico é uma expressão usada para designar um amor ideal, alheio a interesses ou gozos. Um sentido popular pode ser o de um amor impossível de se realizar, um amor perfeito, ideal, puro, casto.
Trata-se, contudo, de uma má interpretação da filosofia de Platão, quando vincula o atributo "platônico" ao sentido de algo existente apenas no plano das idéias. Porque Idéia em Platão não é uma cogitação da razão ou da fantasia humana. É a realidade essencial. O mundo da matéria seria apenas uma sombra que lembraria a luz da verdade essencial.
A expressão amor Platônico é uma interpretação equivocada do conceito de Amor na filosofia de Platão. O amor em Platão é falta. Ou seja, o amante busca no amado a Idéia - verdade essencial - que não possui. Nisto supre a falta e se torna pleno, de modo dialético, recíproco.
Em contraposição ao conceito de Amor na filosofia de Platão está o conceito de Paixão. A Paixão seria o desejo voltado exclusivamente para o mundo das sombras, abandonando-se a busca da realidade essencial. O amor em Platão não condena o sexo, ou as coisas da vida material.
Na obra Simpósio (de Platão), há uma passagem sobre o significado do amor. Sócrates é o mais importante dentre os homens presentes. Ele diz que na juventude foi iniciado na filosofia do amor por Diotima de Mantinea, que era uma sacerdotisa. Diotima lhe ensinou a genealogia do amor e por isso as idéias de Diotima estão na origem do conceito socrático-platônico do amor. Segundo Joseph Campbell, "não é por acaso que Sócrates nomeia Diotima como aquela que lhe deu as instruções e os métodos mais significativos para amar/falar. A palavra falada por amor é uma palavra que vem das origens [1]."



Perspectiva filosófica



Diferentemente do conceito de amor platônico, quando se fala do amor em Platão estamos nos referindo ao pensamento deste filósofo sobre o amor. A noção de amor é central no pensamento platônico. Em seus diálogos, Sócrates dizia que o amor era a única coisa que ele podia entender e falar com conhecimento de causa. Platão compara-o a uma caçada (comparação aplicada também ao ato de conhecer) e distinguia três tipos de amor: o amor terreno, do corpo; o amor da alma, celestial (que leva ao conhecimento e o produz); e outro que é a mistura dos dois. Em todo caso o amor, em Platão, é o desejo por algo que não se possui.
A temática do amor é comum a quase todos os filósofos gregos, entendido como um princípio que governa a união dos elementos naturais e como princípio de relação entre os seres humanos. Depois de Platão, entretanto, só os platônicos e os neoplatônicos consideraram o amor um conceito fundamental. Em Plutarco o amor é a aspiração daquilo que carece de forma (ou só a tem minimamente) às formas puras e, em última instância, à Forma Pura do Bem. Em "As Enéadas", Plotino trata do amor da alma à inteligência; e na sua Epistola ad Marcelam, Porfírio menciona os quatro princípios de Deus: a fé, a verdade, o amor e a esperança. No pensamento neoplatônico, o conceito de amor tem um significado fundamentalmente metafísico ou metafísico-religioso




O amor original


O amor, para ocorrer, não importando os níveis: se social, afetivo, paternal ou maternal, fraternal - que é o amor entre irmãos e companheiros - deve obrigatoriamente ser permitido. O que significa ser amor permitido? Bem, de fato quase nunca pensa-se sobre isso porque passa tão despercebido que atribui-se a um comportamento natural do ser humano ou de outros seres vivos. Mas não, a permissão aqui referida toma-se por base um sentimento de reciprocidade capaz de dar início e alargar as relações de afetividade entre duas ou mais pessoas ou seres que estão em contato e que por ventura vêm a nutrir um sentimento de afeição ou amor entre si.
A permissão ocorre em um nível de aceitação natural, mental ou físico, no qual o ser dá abertura ao outro sem que sejam necessárias quaisquer obrigações ou atitudes desmeritórias ou confusas de nenhuma das partes. A liberdade de amar, quando o sentimento preenche de alguma forma a alma e o corpo e não somente por alguns minutos, dias ou meses, mas por muitos anos, quiçá eternamente enquanto dure e mais nas lembranças e memórias.
Por que você me ama? Porque você permitiu. Essa frase remete ao mais simples mecanismo de reciprocidade e lealdade, se um pergunta ao outro a razão de seu sentimento de amor em direção a ele, a resposta só poderia ser essa. A razão do sentimento de amor em direção à outra pessoa recaí na própria pessoa amada, que em seus gestos, palavras, pensamentos e ações conferiu permissão a que a outra pessoa ou ser - podendo até ser um animal de estimação - o dedicasse aquele sentimento de amor.
O amor pode ser entendido de diferentes formas, e tomado por certo conquanto é um sentimento, dessa forma é abstrato, sem forma, sem cor, sem tamanho ou textura. Mas é por si só: O sentimento em excelência; o que quer dizer que é o sentimento primário e inicial de todo e cada ser humano, animal ou qualquer outro ser dotado de sentimentos e capacidade de raciocínio natural.
Todos carecem de amor e querem reconhecer esse sentimento em si e nos outros, não importando idade ou sexo. O amor é vital para nossas vidas como o ar, e é notoriamente reconhecido que sem amor a criatura não sobrevive conquanto o amor equilibra e traz a paz de espírito quando é necessário.


Pragma


Pragma (do grego, "prática", "negócio") seria uma forma de amor que prioriza o lado prático das coisas. O indivíduo avalia todas as possíveis implicações antes de embarcar num romance. Se o namoro aparente tiver futuro, ele investe. Se não, desiste. Cultiva uma lista de pré-requisitos para o parceiro ou a parceira ideal e pondera muito antes de se comprometer. Procura um bom pai ou uma boa mãe para os filhos e leva em conta o conforto material. Está sempre cheio de perguntas. O que será que a minha família vai achar? Se eu me casar, como estarei daqui a cinco anos? Como minha vida vai mudar se eu me casar?
Amor interessado em fazer bem a si mesmo, Amor que espera algo em troca.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Click to play this Smilebox photobook:
Create your own photobook - Powered by Smilebox
Make a Smilebox photobook

Black, delavê e color: o jeans do primeiro dia de São Paulo Fashion Week






Não que a Cavalera e a Colcci sejam marcas específicas de jeanswear, mas o tecido tem um papel bem importante na clientela e nas coleções de ambas. E vamos combinar, que no fim das contas, é o que a gente mais usa mesmo.
A Cavalera abriu a semana de moda na Galeria do Rock em São Paulo. Mais um cenário bem paulistano para a marca declarar o seu amor à cidade (na última edição o cenário foi o Minhocão, e, eu amo o Minhocão! Sem segundas intenções foi o meu tema de TCC na faculdade).
A coleção foi meio que uma continuidade da passada, só que versão mais roqueira e mais escura. Ao invés de delavê, black jeans. Claro, já que o tema é “Sexo, Moda e Rock’n’Roll”. As águias, bem exploradas na coleção de verão, vieram em estampas super divertidas para o inverno.
Moda nas passarelas, a música com Igor Cavalera na batera e rock nos dois!! Como é gostoso o clima dos desfiles da Cavalera!
Já a Colcci trouxe um jeanswear e uma coleção com o ponto de partida completamente diferente. No cenário, folhas de maple trazidas direto do Canadá em um clima meio floresta, chapeuzinho Indiana Jones e modelos caçadores.
Até teve black e um bem lavado, mas destaque para o jeans color (quem me falou esse termo foi a Deborah Bresser) rosado meio cor de terra.
Sem Gisele, mas com Alessandra Ambrósio, Izabel Goulart, Cauã Reymond (suspiros!) e uma coleção cada vez melhor, a Colcci fez o papel dela nessa edição do SPFW.
Além do jeans, tiveram várias peças e looks nessas duas coleções que eu tenho certeza que vocês vão adorar, mas isso, também é assunto para outro post

Inverno 2010 vai ser rock’n roll segundo super especialistas da moda

Foram quase 80 desfiles entre Fashion Rio e São Paulo Fashion Week + 12 dias só respirando moda. Tudo isso para descobrir a cara do inverno 2010 e os rumos que o mundo da fashion tende a tomar.
Para deixar as leitora do FashionGirl super antenadas, conversamos só com gente que sabe tudo do assunto: Adriana Yoshida, diretora criativa da Revista Capricho e as queridas estilistas Rita Wainer e Thais Losso.Moda mix por Rita Wainer, estilista talentosa e integrante da minha família brasileira favorita (tipo… É sério)
Quais são as principais tendências de moda teen?Acredito nas misturas de estampas e texturas, com cores bem fortes e comprimentos todos curtinhos.
Qual é a sua tendência favorita?Gosto muito de jeans lavado e tie die.





Foram quase 80 desfiles entre Fashion Rio e São Paulo Fashion Week + 12 dias só respirando moda. Tudo isso para descobrir a cara do inverno 2010 e os rumos que o mundo da fashion tende a tomar.
Para deixar as leitora do FashionGirl super antenadas, Qual é a sua tendência favorita?Gosto muito de jeans lavado e tie die.
conversamos só com gente que sabe tudo do assunto: Adriana Yoshida, diretora criativa da Revista Capricho e as queridas estilistas Rita Wainer e Thais Losso.Moda mix por Rita Wainer, estilista talentosa e integrante da minha família brasileira favorita (tipo… É sério)
Quais são as principais tendências de moda teen?Acredito nas misturas de estampas e texturas, com cores bem fortes e comprimentos todos curtinhos.






Rock n’n roll e futurismo por Adriana Yoshida, diretora criativa da Revista Capricho e escreve para o http://capricho.abril.com.br/blogs/madeinparadise/
Quais são as principais tendências para o inverno 2010?O rock vem muito forte para o inverno 2010, ainda junta com o show do Metalica (dia 30, 31, quem vaaaaaaai?). Vem as raízes do rock, punk e heavy metal e traz nas roupas o preto, mas não simples. Ele vem bem carregado e rebuscado com renda, muito brilho, transparências, tachas de todos os tipos, desde as mais roqueiras até as mais patricinhas, que preferirem o dourado.E para quem gosta do visual mais girlie?Os volumes e balonês continuam junto com as saias mais armadas e as meias-calças, que vieram super trabalhadas em todas as coleções. Os ombros também em evidência. As wet leggings, as metalizadas… Eu gosto muito das leggings, porque dá muita liberdade e deixam os looks mais divertidos.Sobre as cores, o que vai pegar no inverno?Nada muito colorido, mas com alguns toques de cor. A cor sozinha cansou um pouco, o papel principal dela vai ser nos acessórios.Nas lavagens de jeans, o que podemos esperar?Lavagem snow, sem muito contraste, ou uma mais dirty. O jeanswear vem meio camp-rock-grunge com xadrezes e lavagens menos clean.As suas tendências favoritas?Gostei do futurismo. Ele estava meio apagado, antes tudo . tinha uma onda mais retrô, mas agora veio bem forte

Tachas Fabia Bercsek e coloridas na Amapô
As wet leggings da Iodice, o rock da Cavalera e o futurismo da Forum Tufi Duek
Meias calças da Triton, Alexandre Herchcovitch, FH e mais uma vez Triton
“Cansei dos anos 80”por Thais Losso, estilista e blogueira
http://thaislosso.com.br/blog/
O que você acha? Quais são as tendências para o inverno 2010?Os fashionistas já estão cansados, mas nas lojas vão aparecer muitas tachas e correntes. O look é super ROCK + Lady GaGa + Crepúsculo. As rendas também são mega fortes. Maxi camisa xadrez, franjas, minissaias de cintura alta com volume, estampas de flores estilo “Liberty ” e “Vitorianas”… Couro… Couro…Couro… E mangas volumosas estilo “Branca de Neve.”
Qual a sua favorita?A trend new grunge …ENFOCANDO UM ESTILO ROMÂNTICO. Já estou usando!!!! Vestidindo de flor com coturno!!! Cansei dos anos 80!!!